História

A Federação Sergipana de Ciclismo, FSC, foi fundada em 10 de junho de 1986. Naquele ano, ela ainda funcionou realizando algumas competições até 1987, quando então foi desativada por falta de interesse de seus dirigentes. Em fevereiro de 1993, após alguns contatos, Gilvan Costa Cavalcante, atual presidente, descobriu que muitos documentos da entidade não tinham mais validade, existia também um contrato de comodato de uma sala para ser sua sede no Estádio Lourival Batista, o “Batistão”, onde, com muita luta conseguiu.

Em março de 1993, foram atualizados todos os documentos, como as Atas, CGC de nº 32.702.391/0001-82, Inscrição Municipal, e até colocar a mesma como Utilidade Pública Estadual, através da Lei nº 3.439 de 21/12/93, projeto este feito pelo Deputado Belivaldo Chagas. Em 17 de Março de 1993, iniciou a primeira etapa do primeiro Campeonato Sergipano de Ciclismo, com a realização da 1º Volta Ciclística de Aracaju. Prova esta, em comemoração ao aniversário de Aracaju. O campeonato contou com doze etapas até dezembro daquele ano. No dia 29 de março de 1993 começou o Campeonato Sergipano de Mountain Bike.

Depois do seu ressurgimento, a FSC começou um trabalho no sentido de melhorar o nível dos ciclistas, foi então que em 1994 a Seleção Sergipana de Ciclismo disputou a primeira competição a nível interestadual que foram as copas, conforme quadro a seguir:

A Federação Sergipana de Ciclismo já realizou inúmeras provas de ciclismo de velocidade e de Mountain Bike. Forneceu apoio em muitos passeios ciclísticos, realizou competições infantis, elaborou o Regulamento e fez a arbitragem duas vezes para os Jogos da Primavera, evento realizado pelo Governo Estadual, o mesmo com os três JEPS - Jogos das Escolas Particulares, além disso, procura dar apoio e até patrocínio em alguns equipamentos de ciclismo. Ciclistas de outros estados que praticam o Cicloturismo e que passam por Sergipe também são beneficiados. A Seleção Sergipana de Ciclismo já participou de 13 Copas Nordeste e Norte/Nordeste, 03 Campeonatos Brasileiros, em Belo Horizonte, Goiânia e Natal, dois Meeting Internacional em Goiânia, um Meeting Internacional de Pernambuco, Circuito Internacional em Interlagos/SP, duas Copas América de Ciclismo em São Paulo e da Copa da República no Rio de Janeiro.

A FSC conta com mais de 60 ciclistas filiados na modalidade de Ciclismo Velocidade (SPD) e 48 ciclistas filiados no Mountain Bike (MTB) e dezenas em BMX, somando mais de 150 ciclistas atletas que fazem parte dos campeonatos estaduais. Atualmente trabalha com modalidades SPD, com as seguintes categorias: Estreantes formadas de ciclistas abaixo de 18 anos e que nunca participaram de competições, a Categoria Elite formada por ciclistas de 19 a 29 anos e por ultimo, a categoria Master A e Master B, formada por ciclistas acima de 30 anos. Nas provas dos dois campeonatos anuais os ciclistas são premiados com medalhas, troféus e brindes como peças para bicicleta, bicicletas e dinheiro.

No final da temporada, normalmente no inicio do mês de dezembro de cada ano, é realizada uma festa de confraternização para entrega de premios e brindes aos primeiros colocados das categorias, sendo posteriormente marcada uma assembleia geral na sede da FSC para elaboração do regulamento, calendário do ano subseqüente e depois a aprovação das contas anuais que são expostas para analise e apreciação pública.

Sergipe anseia, apesar de todas as dificuldades - como é a situação de todos esportes amadores de nosso estado e do país – conseguir o maior objetivo: ser campeão das duas copas, a Nordeste e a Norte Nordeste.

Outro objetivo, já alcançado, foi enviar um ciclista desta geração para a Europa, tal qual aconteceu com Ramon Castro de Farias Filho, que teve contrato com a equipe “VILLE DE CHALEROE – NEW SYSTEM”, equipe profissional da Bélgica, que participou do GS-II da União Ciclística Internacional, UCI.

Outra conquista foi em outubro de 1998, quando um dos seus atletas obteve o primeiro lugar durante a 39º edição da corrida Governador Aguinaldo Archer Pinto na cidade de Manaus/AM. Esta competição foi a nível nacional e o ciclista Rodrigo César Oliveira, que na época tinha apenas 18 anos e foi o campeão. Outro do ciclismo sergipano é Marcos Vinicius Correia de Alcântara (Manchinha) que naquele mesmo ano e prova conquistou a 4º colocação no geral da mesma, e além de tudo hoje ele já disputou três campeonatos paulistas ficando na 3º colocação no ano de 2000 na categoria Junior de até 18 anos, defendendo a Equipe de Osasco, recebendo uma bolsa de estudos, equipamentos, assistência médica e estadia.

Marcos conquistou muitos resultados, como a 16º colocação geral na Copa América de Ciclismo em Janeiro de 2001 em São Paulo, e também é integrante da Seleção Brasileira de Ciclismo da modalidade Pista. A conquista mais recente de Marcos Vinicius foi ser campeão dos 200 metros - prova de velocidade da categoria Elite deste ano em São Paulo. Em 1999 no Sul Americano de ciclismo, realizado na Argentina, ele teve boa participação. Já no Pan-Americano de 2001 que foi realizado em Americana/SP ele chegou a liderar algumas etapas, ficando em 5º lugar na prova de velocidade. Nesta ocasião, Marcos defendeu a equipe Guarulhos/Audifar desde 2001. Com essa equipe ele conquistou o 2º lugar no Meeting internacional de Pernambuco de 2001, assim como ganhou várias etapas do campeonato paulista.

Outros talentos também foram revelados, a exemplo de Gideoni Monteiro, 22 anos, duas vezes campeão Pan-Americano, vencendo no Uruguai em 2009 e na Colômbia em 2011. Gideoni competiu por três anos na Itália e em 2012 defenderá a equipe paulista de Ribeirão Preto. A ciclista Viviane Lourenço, sergipana atual campeã do Grandfondo 2011, também defende a equipe de RIbeirão Preto.

Recentemente, Breno Morais sagrou-se campeão das Olimpíadas Escolares Brasileiras 2011, realizada em João Pessoa, Paraíba, na prova de Estrada foi medalha de ouro e na prova de Contrarrelógio foi medalha de Prata.

Existe em andamento um trabalho sério feito pela diretoria, voltado para recolocar Sergipe entre os três primeiros do pódio nas Copas Nordeste e Norte-Nordeste. O nível técnico está muito alto, mas a sinergia existente na equipe urge a necessidade de conquistar esta meta, tendo em vista novos talentos comprometidos com o desempenho da Seleção Sergipana de Ciclismo, retornando ao poder público e aos patrocinadores da iniciativa privada a confiança e o prestígio que movem o relacionamento da FSC. Em breve, Sergipe estará entre os três melhores do Norte e Nordeste, como sempre foi.